A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra - Resenha

A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra
Robin Sloan
Tradutor: Edmundo Barreiros
Editora: Novo Conceito
Páginas: 288
ISBN: 9788581630236
Publicação: 2013
Preço de Catálogo: R$ 29,90
Nota: 
Compre:   







A recessão econômica obriga Clay Jannon, um web-designer desempregado, a aceitar trabalho em uma livraria 24 horas. A livraria do Mr. Penumbra — um homenzinho estranho com cara de gnomo. Tão singular quanto seu proprietário é a livraria onde só um pequeno grupo de clientes aparece. E sempre que aparece é para se enfurnar, junto do proprietário, nos cantos mais obscuros da loja, e apreciar um misterioso conjunto de livros a que Clay Jannon foi proibido de ler. Mas Jannon é curioso...

Este foi o tipo de livro em que tudo: capa, assunto, personagens e ambientação já despertou meu interesse. Sendo assim, me deixou com bastante expectativa. E – definitivamente – não me decepcionou. 


No livro, conhecemos Clay Jannon, um jovem web designer, que desempregado e sem grandes esperanças em encontrar emprego na sua área de atuação, acaba indo trabalhar em uma misteriosa livraria que fica aberta 24 horas. Clay é um protagonista comum, sem nada muito marcante, mas que desperta uma certa simpatia que agrada a todos. 


A livraria é basicamente dividida em duas partes: uma normal, onde encontram-se livros comuns e para venda. Enquanto na outra parte, encontram-se livros velhos, misteriosos, com nomes em latim nas suas lombadas e que estavam disponíveis, apenas, para locação. Clay chama esta parte da livraria de “Arquivo Pré-histórico” e é extremamente proibido de abrir qualquer um destes livros. 



O Dono da livraria, Mr. Penumbra, é tão misterioso quanto a própria livraria. Logo nos primeiros dias na livraria, Clay observa que tudo na livraria, e todos que a frequentam, é estranho e suspeito. Clay percebe que apenas um pequeno grupo de clientes visita a livraria e de forma esporádica. Esses clientes são sempre idosos e que pegam livros emprestados do “arquivo pré-histórico”, Clay desconfia que se trate de uma sociedade secreta. Devido a sua curiosidade, Clay, acaba descobrindo que todos os livros dessa seção são codificados. Lembrem-se que ele é extremamente proibido de abrir tais livros e folheá-los. 


Com a ajuda da sua namorada Kat, que trabalha no Google, e de seu amigo de infância Neel, Clay Jannon irá usar a tecnologia para tentar desvendar os mistérios que se escondem nas páginas desses livros antigos. A partir daí, embarcamos em uma aventura que envolve alta tecnologia e a origem dos livros impressos. Não se trata de uma obra em que se defenda o fim do livro impresso, como alguns já disseram, e tão pouco contra os livros digitais ou a tecnologia. Mas sim sobre como ambos podem conviver. 



Uma leitura rápida e extremamente agradável, personagens reias e que poderiam ser quaisquer um de nós, e foi nisso que o autor acertou. Personagens tão comuns que nos identificamos com eles e pelos quais passamos a ter grande simpatia. 


A Livraria 24 Horas do Mr. Penumbra é um daqueles livros que não tem grandes pretensões ou profundidade, mas que causa uma boa discussão e que irá proporcionar momentos de grande prazer. Embarque nessa aventura com Clay e descubra o final desta aventura emocionante.

4 comentários:

  1. Fiquei interessada nesse livro, parece ser uma leitura agradável e interessante.
    Sem dúvidas, entrou para minha lista!

    Beijos
    http://voltaaomundoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. A leitura é bastante agradável e muito interessante! Você não consegue parar de ler para descobrir o mistério. Recomendo demais! Obrigado e volte sempre. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Grande, Fernando! Beleza?

    Putz! Mais uma resenha que gostei e irá fazer com que compre o livro... estourar mas uma vez meu cartão de crédito! Hehehehe! :D

    Parabéns pela resenha! :)

    Abraços!
    http://irmaoslivreiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Me interessei bastante pelo livro, principalmente por saber que ele promove a convivência entre livros digitais e impressos, já que sou uma defensora dos livros digitais sem deixar o amor pelos livros impressos, parabéns pela resenha, vou ler, com certeza =)

    ResponderExcluir