Extraordinário - Resenha

Extraordinário
R. J. Palacio

Tradutora: Rachel Agavino
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
ISBN: 9788580573015
Publicação: 2013
Preço de catálogo: R$ 19,90
Nota: 
Compre:        



August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Realmente Extraordinário!

No momento em que coloquei os olhos neste livro, imaginei que iria me envolver na história, só que o que eu não imaginava, é que iria superar – quaisquer – expectativas.

August Pullman, mais conhecido como Auggie, nasceu com uma síndrome genética muito rara, que lhe causou uma deformidade, ou "disostose buco maxilofacial  conhecida pela mutação de um autossomo recessivo do gene TCOF1, localizado no cromossomo 5 que é responsável pela característica óculo-aurículo-vertebral, (resumindo responsável pela formação da nossa face).”. Por conta disto, Auggie foi submetido a várias cirurgias e cuidados médicos desde pequeno, impedindo sua ida à escola.

Como Auggie nunca fora à escola na vida, recebia aulas em casa de sua própria mãe. Porém, no decorrer da narrativa, seus pais decidem que está na hora de Auggie frequentar a escola e ele sabe que isso não será fácil, afinal, ele está sujeito a pré-julgamentos de todos a sua volta, inclusive as crianças de sua sala. Auggie terá como tarefa, provar a todos, que apesar de possuir um rosto diferente, ele é um menino com sonhos, desejos, como qualquer outro.

A narração é o ponto alto da história, pois mesmo sendo em 1ª pessoa, a autora intercala entre Auggie, seus familiares e amigos. Deste modo, os leitores têm uma visão ampla do pensamento de cada personagem. O interessante é que isto deixa a história bem instigante, prendendo a atenção do leitor.

O livro retrata em como a sociedade é cruel, onde a “perfeição” é quase como uma regra, portanto, se você não está neste padrão, pode vir a sofrer muito. Mas também mostra a reviravolta nesta “regra” tola. Como dito anteriormente, este livro é realmente EXTRAORDINÁRIO, impossível descrever todas as emoções ao lê-lo. Uma mistura de sentimentos que o faz repensar na vida ao acabá-lo.

O livro acaba sendo um exemplo de vida para muitos, dependendo do seu ponto de vista, claro. E não é apenas o tema do livro que o instiga a querer lê-lo, mas a forma como a autora desenvolveu a história.

Os personagens são bem construídos e bem marcantes, e isso acaba dificultando a escolha de qual é o seu preferido. Auggie – com certeza – é o meu preferido, pois acima de tudo, se considera um menino normal, além de ser carinhoso, possui um humor contagiante.

Os pais de Auggie são super protetores. O pai sempre fazendo piadas, e isso faz com que Auggie o considere o cara mais engraçado que existe. A mãe é tipicamente normal, como a maioria das mães, que sempre procura fazer a coisa certa para proteger seus filhos. Via, irmã de Auggie, é uma adolescente que está disposta a ir de frente com qualquer um que mexesse com seu irmão. Ela não é do tipo que se mete em encrencas, leva seus estudos e amigos a sério.

Summer e Jack são os melhores amigos de Auggie, e portanto, possuem um grande papel na vida dele. Justin, namorado de Via, é um tanto diferente, mas é carismático e protetor. Miranda, que costumava ser a melhor amiga de Via, tem um lado obscuro, mas que no fundo, possuí um bom coração. Sem falar que Miranda ama a família Pullman.

O livro faz jus ao título: Extraordinário. Tornou-se querido por mim e por todos. Eu recomendo, pois é uma história para todas as idades e promete amolecer até o coração mais duro.

“Esse preceito significa que deveríamos ser lembrados pelas coisas que fazemos. Elas importam mais do que tudo. Mais do que aquilo que dizemos ou do que nossa aparência. As coisas que fazemos sobrevivem a nós. São como monumentos que as pessoas erguem em honra dos heróis depois que eles morrem. Como as pirâmides que os egípcios construíram para homenagear os faraós. Só que, em vez de pedra, são feitas das lembranças que as pessoas têm de você.”

4 comentários:

  1. Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas já li tantos comentários positivos, que vontade é o que não me falta. Já li um livro cuja personagem tem a mesma doença de August, Corações Feridos, de Louisa Reid..

    Gostei bastante da resenha!

    Beijinhos

    Bia - Blog Escrevendo Mundos
    escrevendomundos.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem que ler!! Vou procurar sobre esse livro da Louisa Reid. E obrigado por gostar da resenha! Beijo!

      Excluir
  2. Extraordinário foi um livro que me cativou. Eu recomendo para todos :)
    Ótima resenha!

    Beijos
    http://voltaaomundoemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, cativa a todos! E obrigado, espero que continue acompanhando o blog. Beijos! =)

      Excluir