Entrevista com Pedro Andrade, que lança guia sobre Nova York “extremamente pessoal”

Pedro Andrade esteve pela primeira vez em Nova York aos 17 anos. Voltou após algum tempo para trabalhar como modelo, se apaixonou pela cidade, decidiu encarar todos os perrengues (e as maravilhas) da grande metrópole e ficar.

O jornalista carioca já mora há 12 anos na cidade, é apresentador do First Look, da rede norte-americana NBC (programa que lhe rendeu um Emmy) e um dos apresentadores do “Manhattan Connection”, da Globo News. Quem o acompanha no Instagram já sabe disso tudo.

A vasta experiência e vivência em Nova York fez Pedro lançar um guia repleto de informações, dicas e gostos pessoais para quem quer se aventurar e curtir a cidade. O Papelpop conversou com Pedro para saber um pouco mais sobre o livro…


Papelpop: Para quem você recomenda o livro? Ele foi feito pensando em qual tipo de turista brasileiro?
Pedro Andrade: É um guia inclusivo, para todos os tipos. Escrevi um capítulo para quem viaja só, outro para quem vem com grandes grupos… Tem Nova York em conta, Nova York romântica, para jovens, para famílias, um dedicado apenas a instituições de arte, outro para quem está trás de compras. Muitas opções de baladas, boates, bares, além de uma infinidade de restaurantes.

Papelpop: Qual a diferença do seu guia para todos os outros já lançados sobre a cidade de Nova York?
Pedro Andrade: Meu guia é extremamente pessoal. Eu escrevi cada palavra, tirei cada foto e acompanhei cada etapa do processo. Acredito que o fato de eu ter chegado em NY doze anos atrás, sem grana, sem conhecer qualquer pessoa e ter passado por muitos “perrengues”, me deu uma visão da cidade totalmente distinta da “Capital do Mundo” em que vivo hoje. Aprendi a ver encantos sem dinheiro, sem estar familiarizado com Manhattan e absolutamente sozinho, mas, também tive a capacidade de aos poucos ir me apaixonando por outros ângulos da Big Apple que trazem mais conforto, acesso a lugares exclusivos e experiências privilegiadas.

Papelpop: Vamos ver no livro lugares que você descobriu anos atrás, na época do perrengue, e ainda ama?
Pedro Andrade: Sem sombra de dúvidas. Alguns dos meus lugares prediletos, descobri quando vivia em um “muquifo” sem banheiro (o toilet ficava no corredor)… Um belo exemplo são os hot-dogs do Papayas que custam menos de 4 dólares. Ou bares que servem uma cerveja chamada PBR por meros 2 dólares. Dedico um capítulo inteiro para quem quer viajar sem traumatizar o bolso. Muitas das maravilhas de NY não custam absolutamente nada: alguns dos melhores museus do mundo ficam aqui e oferecem acesso gratuito, tem cinema de qualidade ao ar livre em uma série de parques, aulas de dança no pier na frente do Rio Hudson, pôr do sol no topo do Metropolitan…


Papelpop: Qual foi a comida mais gostosa, a loja mais incrível e o cantinho turístico mais legal de NY?
Pedro Andrade: Impossível escolher só UM item. Estamos falando da Capital do Mundo, onde a competitividade reina e a oferta é abundante. Posso citar alguns dos meus prediletos: Com relação `a comida, o Black Label Burger é o melhor hamburguer que já comi na vida… e o Meat Ball Shop oferece ótimas almôndegas por um preço muito acessível. Já no quesito compras, a GUCCI da Quinta Avenida é um espetáculo e para quem curte uma pechincha, o Brooklyn Flea Market no Waterfront é uma ótima pedida. Dentre os cantos turísticos, sugiro um passeio pela barca Staten Island Ferry (você passa na frente da Estátua da Liberdade sem gastar um centavo ou enfrentar filas) ou o High Line Park (também gratuito).

Papelpop: Quais são as 3 baladas/clubs obrigatórios para quem vai conhecer a cidade pela primeira vez?
Pedro Andrade: Brooklyn Bowl, Finale e Le Bain. Mas, repito que depende muito do estilo de música que cada um curte, do tipo de clientela, da localização, etc… No livro mostro detalhadamente o que a gente encontra em cada um desses locais.

Papelpop: Tem alguma atração pela qual você não esperava muita coisa, mas acabou te surpreendendo a ponto de estar no livro?
Pedro Andrade: Muitos. Morar em NY é se deparar com surpresas diariamente. No metrô, na calçada, nas biroscas mais inusitadas, bares escondidos, e assim por diante. Durante anos passei na frente do restaurante PRUNE no East Village sem nem reparar no cardápio; um belo dia, estava gravando na vizinhança e decidi sentar lá sem expectativa alguma. Desde então considero ele um dos melhores brunchs do mundo. O omelete de ostras fritas é algo para se deliciar rezando!


Papelpop: Quando você pensa em Nova York sendo retratada na TV ou no cinema, qual é o primeiro nome que vem à cabeça?
Pedro Andrade: Sempre fui fã incondicional do Woody Allen. Por isso é difícil não associar a cidade aos filmes dele, mas, estas series retratam bem aspectos especificos de NY. Nunca assisti a um filme ou seriado que englobasse todas as facetas da Big Apple. Em “Girls”, a gente vê um lugar mais “hipster”, ou seja, mais Brooklyn. Em “Sex and the City”, as referências são mais focadas em Manhattan, ou no Upper East Side e no West Village (onde a protagonista morava – e onde eu moro hoje em dia). Outro seriado interessante apesar de não estar mais no ar, foi o “How to Make it in America”. Mas se tivesse que escolher uma referência visual dos últimos tempos para descrever NY, sem dúvidas diria que o clipe da Alicia Keys com o Jay-Z pinta um retrato fiel do clima da cidade.

Mais sobre o Pedro Andrade: no Instagram (@pedroandradetv), no Twitter (@pedroandradetv) ou no site pedroandradetv.com.

FONTE: Papel Pop.

Eu quero MUITO ler este livro. Em 2011 visitei Nova York e posso dizer que sou apaixonado por esta cidade, quero muito voltar lá! Mas enquanto isso, por que não aprender um pouco mais sobre a cidade que nunca dorme através deste livro incrível? 

Para comprar, clique:   

Espero que tenham gostado! Não se esqueçam de compartilhar e comentar. Se você também curte livros, curta nossa página no Facebook, siga-nos no Twitter e se Inscreva no blog.



0 comentários:

Postar um comentário