A LISTA NEGRA - JENNIFER BROWN

   Criar expectativas... Ate que ponto isso influencia a nossa opinião sobre os livros?

   Sempre me pergunto isso quando gosto muito de um livro que já esperava gostar, e esse é o caso de A Lista Negra, de Jennifer Brown.Me formei no ano passado, 2014, e as memórias e experiências do tão esperado ano da formatura ainda estão bem frescas em minha mente. Talvez por isso a leitura tenha sido tão marcante para mim.



   A narrativa em 1ª pessoa começa quando Valerie se prepara para voltar à escola, alguns meses depois que seu namorado, Nick Levil, assassinou diversos alunos do Colégio Garvin antes de atirar acidentalmente em sua namorada e se suicidar. Como se a situação não pudesse ficar mais complicada, todos os alunos mortos estavam em uma lista negra, feita pela protagonista alguns meses antes.

   A partir daí acompanhamos a luta de Valerie, que tenta voltar a ter uma vida comum, sofrendo discriminação de seus familiares e amigos, enquanto luta para superar os traumas psicológicos causados.

   Assim que terminei de ler, percebi que é um livro essencial, pra todos aqueles que estão no ensino médio, ou já passaram por ele. Sem medo de mostrar a realidade sem firulas a autora nos envolve emocionalmente com Valerie e sentimos na pele os julgamentos feitos à uma inocente. As sequelas dos alunos atingidos por Nick, e a mágoa criada pelos que perderam amigos e familiares nos mostram o quanto as pessoas que conhecemos, ou pensamos conhecer, podem mudar, assim como a relação entre elas.Como nós mesmos mudamos conforme os acontecimentos, e o quanto as opiniões da sociedade em volta de nós interfere em nossa personalidade e em nossas decisões.



   Além disso, um dos temas tratados é a fragilidade das relações familiares que, supostamente, deveriam ser perfeitas, como vemos em vários YAs da atualidade. Um divórcio inesperado e o afastamento de seu irmão, são acontecimentos que assustam e abalam Valerie, comprometendo sua recuperação.

   Vendo-se sufocada, ela encontra uma "válvula de escape" em seus desenhos. Além de manter um caderno onde tentava reproduzir seus dias na escola, usando analogias com animais e objetos, Valerie conhece Bea. Um dos personagens mais aleatórios e mais memoráveis de todas minhas leituras desse ano! Ela surge como uma luz para a protagonista, mostrando à ela um mundo cheio de cores e fantasia, contrastando com as sombrias experiências que vimos até então.



   Seria impossível explicar nesse texto o quanto os dilemas e as experiências vividas por Valerie afetam o leitor e mostram uma realidade diferente daquela que costumamos ver na literatura adolescente atual. Além da história e do desfecho comovente, a arte gráfica ajuda essa história a ser contada. As folhas são bem grossas, e o livro é separado em 4 partes, apresentando pequenas ilustrações que conversam com os capítulos antes do início de cada um. Não é um dos livros mais baratos do catálogo da Gutemberg, mas vale a pena cada centavo.

   Espero que tenham gostado! Deixem seus comentários abaixo! Até a próxima! :D


1 comentários:

  1. Ai, me interessei bastante por esse livro! E não sei porque, mas me lembrou um pouco do sentimento do livro Os 13 porquês.

    www.allthingsblue.com.br

    ResponderExcluir